Informe-se Clipping

Destaques


Fonte: Valor Econômico - 10 de Fevereiro de 2021

Calçado brasileiro I

As exportações de calçados em janeiro indicam melhora nos índices desde abril do ano passado. No primeiro mês de 2021, foram exportados 9,73 milhões de pares, que geraram US$ 60,93 milhões, crescimento de 5% em volume e de 2,1% em valores ante o mês imediatamente anterior, divulgou ontem a associação da indústria calçadista. Os números de janeiro, porém, ainda representam uma queda de 22,2% em volume e de 33,2% em valores em relação ao mesmo mês do ano passado. O presidente da Abicalçados, Haroldo Ferreira, destaca que os primeiros dois meses deste ano devem mesmo registrar queda em relação ao mesmo período de 2020, pois o país ainda não tinha.
 
Calçado brasileiro II

A Abicalçados mantém a expectativa de crescimento a partir do primeiro trimestre, terminando o ano de 2021 com uma performance 14,9% melhor do que no ano passado. “Existe uma recuperação em andamento”, diz Ferreira em nota. Ele afirmou que, apesar da incerteza sobre o ritmo de vacinação contra a covid-19 a, o setor deve registrar crescimento de 14% na produção total no acumulado de 2021, tanto para exportação quanto para o mercado interno. O principal destino da produção brasileira no exterior continuam sendo os Estados Unidos, seguidos de França e Argentina.
 
Números da Azul

O tráfego consolidado da Azul Linhas Aéreas recuou 10,9% em janeiro, em relação ao mesmo mês de 2019. A oferta de assentos caiu, 5,5%. A companhia reportou ainda queda de 4,8 pontos percentuais na taxa de ocupação das aeronaves, para 78,7%, ante taxa de 83,5% divulgada em janeiro de 2019. No comparativo com o mês de dezembro, o tráfego de passageiros consolidado registrou avanço de 13% e a capacidade cresceu 14,8%. Além disso, em janeiro o segmento doméstico registrou avanço ante o mesmo mês de 2019. A demanda aumentou 13,2% e a oferta, 17,6%.
 
Satisfação com a energia

A satisfação do cliente residencial de energia elétrica cresceu em 2020 na comparação com 2019, aponta pesquisa da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), feita em parceira com o Instituto Innovare. De acordo com o levantamento, o Índice de Satisfação da Qualidade Percebida (ISQP) atingiu 74,9% no ano passado, ante 70,3% registrados em 2019. O item melhor avaliado se refere à conta de luz (83,7% de satisfação) - esse quesito leva em conta o prazo de entrega e vencimento da conta, localidade para pagamento, entendimento das informações e dados sem erros.