Informe-se Blog

Entenda como é realizada a análise do empréstimo consignado

20 de Agosto de 2020

O empréstimo consignado está entre as linhas de crédito menos burocráticas do mercado. No entanto, assim como nas demais modalidades, existe um processo chamado de análise de crédito. É uma avaliação por parte da instituição financeira que irá decidir se o cliente pode ou não contratar o empréstimo.
 
Em outras palavras, o banco irá fazer a análise para garantir se o consumidor terá condições de pagar o crédito solicitado. A partir dessa avaliação, será determinado o valor do empréstimo, taxa de juros e quantidade de parcelas. O objetivo é garantir que a instituição financeira irá receber o valor liberado.
 

Como funciona a contratação de empréstimo consignado?

Nos empréstimos pessoais comuns, o banco solicita dados cadastrais, como como CPF, telefone, estado civil, idade, nível de escolaridade, profissão, renda, região onde mora. Com isso, o banco consulta as restrições no nome para saber se há alguma pendência registrada no CPF da pessoa. A consulta é feita pelo SPC ou Serasa. Logo em seguida, a instituição confere a renda para saber se o limite cabe ou não no bolso do consumidor.
 
Já no empréstimo consignado, o processo é parecido, mas com algumas diferenças cruciais. Como todos já conhecem, essa linha de crédito é destinada aos aposentados e pensionistas do INSS, servidores públicos e pensionistas de órgãos federais, estaduais e municipais, militares e pensionistas das Forças Armadas.
 
Em primeiro lugar, durante a análise de crédito, não há a consulta no Serasa ou SPC, porque o crédito é descontado direto da folha de pagamento do benefício ou salário. Além disso, o valor das parcelas não pode comprometer 35% da renda (30% é comprometido com o empréstimo pessoal e 5% com cartão de crédito consignado). A margem é um limitador imprescindível na concessão do empréstimo consignado.
 
Diferente dos outros empréstimos, no crédito consignado, o tomador não tem a possibilidade de não pagar, pelo menos  parcialmente, as parcelas e a fatura do cartão consignado, já que o valor é debitado automaticamente da conta pela qual o cliente recebe o benefício ou salário.
 
A análise de crédito do crédito consignado serve para determinar os valores das parcelas, prazos para pagamentos, dentre outros critérios. Isso porque, apesar de ser destinada para grupos específicos, existem algumas variações de taxas, prazos e limites, dependendo do perfil do tomador. Para aposentados e pensionistas, o empréstimo pode ser quitado em até 72 vezes. Já para servidores públicos, o prazo é estendido até 96 meses.
 
Durante a avaliação do banco, além dos documentos pessoais, como RG, CPF e CNH, é necessário apresentar também documentos financeiros. O comprovante de renda pode ser solicitado junto ao órgão pagador. O último holerite também serve para essa mesma função. Basta acessar o portal do INSS ou direto no sistema da instituição responsável pelo pagamento. Já os comprovantes de residência podem ser contas de água, luz, gás, telefone fixo ou celular, dentre outros tipos. Os bancos não aceitam comprovantes com mais de 90 dias.
 
Com todas as informações em mãos, o banco irá conferir se os documentos são reais e verdadeiros. Outra condição importante é que a instituição pagadora precisa ter convênio com o banco que irá conceder o empréstimo.  Esse é um dos critérios pelas quais o crédito pode ser negado. Outro cuidado que o cliente deve ter é quanto à divergências das informações apresentadas. Por isso, os documentos devem estar sempre corretos.