Informe-se Notícias

Governo pretende liberar benefícios parados do INSS

Essa medida pode elevar a demanda do crédito consignado

22 de Janeiro de 2020

O governo pretende liberar boa parte dos benefícios do INSS que estão represados. De um total de 2,2 milhões de benefícios que estavam parados em dezembro do ano passado, o estoque será diminuído em 285 mil até agosto deste ano. O aumento das concessões pode elevar a demanda do crédito consignado, o que é uma boa oportunidade para os correspondentes ampliarem a venda deste produto.
 
A Secretaria de Previdência do Ministério da Economia divulgou uma nota técnica informando que a redução na quantidade de benefícios despachados é “fruto de uma redução da força de trabalho do INSS”. Em julho do ano passado, o estoque parado chegou a 2,562 milhões de benefícios. A nota também informou que o impacto será de R$ 9,7 bilhões nas despesas da Previdência Social em 2020.
 
Além disso, o repasse dos benefícios do INSS para este ano entrará nas novas regras da Reforma da Previdência, promulgada em novembro. Contudo, o governo adverte que, por enquanto, é difícil avaliar o impacto fiscal das despesas, depois da Reforma.