Imprensa Notícias

Santander lança plataforma de crédito imobiliário on-line

Novidade agiliza a liberação dos recursos, mas deixa correspondentes no país fora da operação - 27 de Julho de 2017

credito_imobiliario_correspondente_bancario.jpg

O banco Santander está investindo mesmo no segmento de crédito imobiliário. Depois de, no início de julho, ter anunciado a redução dos juros anuais desse tipo de financiamento, o banco lança agora uma plataforma que permite aos clientes contratar o crédito para casa própria on-line, do início ao fim do processo. Dessa forma, a ida à agência só será necessária para a assinatura do contrato, o qual precisa ser registrado no cartório de imóveis. Tanta facilidade traz benefícios para o consumidor e o banco, mas tira os correspondentes no país (também conhecidos como correspondentes bancários) do processo de intermediação.
 
Pelo sistema é possível simular, aprovar o crédito e enviar dados e documentos necessários pelo celular ou computador, reduzindo o prazo para conclusão de 60 para 30 dias. “Seremos os promotores da virada do mercado de crédito imobiliário neste segundo semestre”, afirma Gilberto Abreu, diretor executivo de Negócios Imobiliários e Investimentos do Santander.
 
Retomada
O lançamento faz parte de um movimento mais amplo do banco, de incentivo à retomada do crescimento do crédito imobiliário no país. Quanto à redução das taxas de juros anunciadas, estas se restringem ao cliente Santander, pessoa física com relacionamento, que optar pelo pagamento do empréstimo em parcelas atualizáveis (SAC). Pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), os juros passam a ser de 9,49%+TR ao ano, e, para Carteira Hipotecária (CH), 9,99%+TR anuais.
Nestas condições, o banco financia imóveis usados com valores de R$ 90 mil a R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP, pelo SFH) e acima de R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP, pela CH). Nos demais estados, o valor de imóvel usado é de até R$ 800 mil. Para imóveis novos (com até 180 dias de habite-se ou com prazo superior a 180 dias, desde que não tenha sido habitado ou alienado), o limite para uso do FGTS é de até R$ 1,5 milhão, independentemente do estado.