Imprensa Notícias

Indicador de incerteza da economia sobe 14,4 pontos em junho, aponta FGV


Fonte: ISTO É - 29 de Junho de 2017

O Indicador de Incerteza da Economia Brasileira (IIE-Br) subiu 14,4 pontos na passagem de maio para junho, alcançando 142,5 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O aprofundamento da crise política, após o envolvimento do presidente Michel Temer no acordo de delação premiada de executivos do frigorífico JBS, ainda é o principal motivo para a elevação da incerteza.

 

“A elevação de incerteza da economia em junho ainda reflete a crise política deflagrada pela divulgação da gravação de conversa do presidente Temer com o empresário Joesley Batista. Como intensificadores destacam-se o julgamento da chapa Dilma-Temer e as indefinições sobre o futuro político e, consequentemente, econômico do País”, diz a nota divulgada nesta quinta-feira, 29, pela FGV.

 

Com a alta de junho, o IIE-Br está em patamares próximos aos da época do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. “Todos esses fatores fazem com que voltemos ao mesmo nível de incerteza vividos no período pré-impeachment da presidente Dilma Rousseff. Por fim, a denúncia do procurador da República Rodrigo Janot deve estender, pelo menos por mais algumas semanas, o período de incerteza muito elevada”, continua a nota.

 

O índice mensal passou a integrar o calendário de divulgações de indicadores econômicos do Ibre/FGV no fim de 2016. O IIE-Br é composto por três componentes: o IIE-Br Mídia, que faz o mapeamento nos principais jornais a frequência de notícias com menção à incerteza; o IIE-Br Expectativa, que é construído a partir das dispersões das previsões para a taxa de câmbio e para o IPCA; e o IIE-Br Mercado, baseado na volatilidade do mercado financeiro.

Conforme a FGV, o aumento do IIE-Br em junho ocorreu nos componentes Mídia e Expectativa. O componente que mais influenciou o aumento foi o IIE-Br Mídia, com alta de 14,8 pontos e contribuição de 13,1 pontos para a evolução do IIE-Br no mês. Já o IIE-Br Expectativa aumentou 11,3 pontos, contribuindo com 2,8 pontos para o crescimento do indicador agregado. O IIE-Br Mercado foi o único componente a apresentar queda, recuando 12,1 pontos, com impacto de -1,5 ponto no IIE-Br.

 

A coleta do IIE-Br é realizada entre o dia 26 do mês anterior ao dia 25 do mês de referência. ( – vinicius.neder@estadao.com)