Notícias Notícias

FGTS vai aumentar o crédito no comércio local


Fonte: EM TEMPO - 23 de Março de 2017

Os saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que devem injetar mais de R$ 353 milhões na economia do Amazonas, poderão garantir a manutenção de crédito do comércio, em troca de promover o crescimento do setor com aumento das vendas e melhorar o faturamento. A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus) chegou à essa conclusão pois acredita que a população está mais preocupada em “limpar o nome”.

 

Um estudo do grupo Intervalor, um dos principais prestadores de serviços financeiros no Brasil com soluções para todo o ciclo de crédito, comprovou, por meio de uma pesquisa quantitativa com 1708 clientes inadimplentes ativos na base de cobrança da empresa, que 59% vão utilizar valor das contas inativas do FGTS para pagar dívidas, principalmente as contas de cartão de crédito.

 

O presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag, explicou que o valor que será injetado pelo FGTS na economia do Amazonas, R$ 353 milhões durante cinco meses, equivale à metade do 13º salário pago no mês de dezembro. “Essas pessoas estão pegando esse valor e estão primeiro pagando as suas dívidas, para então fazer compras, portanto, provavelmente não terá nenhum impacto de crescimento nas vendas da cidade”, detalhou.

 

Apesar de não haver reflexo no crescimento real, Assayag acrescentou que as pessoas com dívidas e outras que estão inadimplentes, em torno de 345 mil, vão quitar esses compromissos, fazendo com que esse número diminua e cresça oferta de crédito no mercado.

 

“A população volta a saber que pagando a dívida pode voltar a ter mais débitos e, solucionando a inadimplência, eles voltam a ter crédito. Não tem como chegar a ter venda. Qualquer dinheiro é bem-vindo, mas não tem impacto para crescer o comércio”, finalizou.

 

O vigilante Raimundo Souza, 51, vai receber o dinheiro apenas em maio e deve priorizar o pagamento de dívidas e ainda vai pensar no que fazer depois. Raimundo disse que a taxa de juros ainda está sendo equilibrada para regularizar a situação econômica do país, mas ainda não está no ideal para pagar as contas com mais tranquilidade.

 

“Enquanto isso não for estabilizado, o melhor que a população tem a fazer é se antecipar diante das contas e evitar que as dívidas se tornem uma ‘bola de neve’. Até porque, para nós trabalhadores, nosso maior patrimônio é o nosso nome, temos que mantê-lo limpo”, ressaltou.

 

As amigas Regiane Santos, 28, cabeleireira, e Maria Domingues, 29, auxiliar administrativo, devem priorizar o recebimento do FGTS para quitar dívidas ou abater os débitos correntes. “O importante é ficarmos com crédito no mercado”, disse Regiane.